Escolas

Como falar de educação financeira nas escolas?

Cada vez mais em alta, a educação financeira chegou à sala de aula! Confira alguns métodos de ensino super didáticos que sua escola pode adotar

A educação financeira é essencial para todos os seres humanos, e ter a oportunidade de aprender sobre isso no período escolar é um grande diferencial para crianças e adolescentes, para que possam criar uma boa relação com suas próprias finanças.

Falar sobre dinheiro ainda gera certo desconforto e acaba se tornando um tabu, mas não deveria. Aprender a lidar e organizar suas economias garante mais autonomia, qualidade de vida, conhecimento pessoal, dentre vários fatores benéficos para a vida do indivíduo e da sociedade.

Trabalhar com esse tema tão importante dentro das salas de aula proporciona um conhecimento mais amplo e estratégico aos alunos, que por sua vez passam a ter mais planejamento para a construção do futuro!

A importância de estudar educação financeira

Um dos primeiros passos é entender que a educação financeira nas escolas não pode ser vista como uma disciplina comum. O que se aprende é um conhecimento para toda a vida, que poderá ser passado de geração para geração, e também ensinado para outras pessoas que não tiveram a oportunidade de aprender sobre o tema.

Além disso, ter noção de como o dinheiro pode ser gasto de forma planejada, muda a vida de qualquer um, ainda mais de quem está em fase de crescimento e aprendizado. Os estudantes se sentirão mais motivados durante esse processo, podendo abrir um leque de possibilidades para que consigam atingir seus objetivos. 

Implementar a educação financeira na educação básica ajuda na construção de uma sociedade mais justa e igualitária. Com a pandemia da Covid-19, o número de endividados no Brasil bateu um recorde histórico em abril de 2021.

De acordo com um estudo feito pela CNC - Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, cerca de 46% da população teve a renda reduzida neste período - e, infelizmente, a tendência é que esse número aumente, afetando ainda mais a vida de inúmeros brasileiros. 

Diante de todo esse cenário, o alerta para a crise econômica deixa ainda mais evidente a necessidade de se aplicar a educação financeira nas escolas. 

As pessoas estão mais acostumadas a pesquisar por esse assunto depois de mais velhas, quando começam a trabalhar, morar sozinhas, ter mais despesas etc. Tanto que a cada dia surgem novas plataformas e canais no YouTube, por exemplo, com profissionais falando e ensinando sobre isso. Mas o tema pode começar a ser trabalhado desde a educação básica para facilitar diversos processos. 

Aprender a organizar suas economias garante mais autonomia, qualidade de vida, conhecimento pessoal, dentre vários fatores benéficos para a vida do indivíduo e da sociedade

Programa Educação Financeira nas Escolas

Segundo a BNCC - Base Nacional Comum Curricular, conceitos introdutórios e básicos de finanças e economia são uma das perspectivas da disciplina de matemática para o ensino fundamental.

Os educadores podem incluir debates técnicos sobre aplicações, valor de impostos, taxas de juros, e até questões culturais, sociais, políticas, psicológicas e econômicas a respeito da relação entre consumo, trabalho e dinheiro.

Pensando nisso, o Governo Federal lançou, por meio do MEC - Ministério da Educação, em parceria com a CVM - Comissão de Valores Mobiliários, o Programa Educação Financeira nas Escolas, em 17 de agosto de 2021. 

O objetivo do projeto é oferecer cursos gratuitos e on-line de formação em educação financeira aos professores do ensino fundamental e médio, tanto de rede pública, como privada, para que o conteúdo esteja presente dentro das salas de aula.

A expectativa inicial é a de capacitar, em três anos, 500 mil educadores que poderão levar a matéria a mais de 25 milhões de estudantes por todo o Brasil. 

Um dos cursos têm como público-alvo professores do 9º ano, onde serão abordadas cinco temáticas necessárias: finanças pessoais, matemática financeira, atitudes empreendedoras, desenvolvimento de técnicas comportamentais e projetos de vida.

Se quiser saber mais sobre o Programa Educação Financeira nas Escolas, visite o site do Governo Federal.

Como as escolas podem trabalhar com a educação financeira?

Quando o aluno começar a receber as orientações e formações necessárias para aprender a como lidar com as suas próprias finanças, terá ferramentas suficientes para se preparar melhor para o seu futuro, e de forma mais consciente e responsável. 

Há várias formas para que as instituições de ensino comecem a colocar o aprendizado em prática nas salas de aula:

  • Conversar com as famílias dos alunos e expor a importância de falarem sobre esses assuntos dentro de casa;
  • Informar os professores sobre o Programa Educação Financeira nas Escolas e motivar o estudo da disciplina para que seja aplicada no planejamento de aulas;
  • Incentivar desde cedo a educação financeira para todas as idades;
  • Promover palestras com especialistas sobre finanças para os alunos, e também para o corpo docente, funcionários e famílias;
  • Proporcionar ambientes acolhedores para tratar desse assunto com alunos e famílias de baixa renda;
  • Desenvolver atividades interativas voltadas a essa metodologia.

 

Em quais disciplinas pode-se aplicar a educação financeira?

 

Devido a importância do tema e a pluralidade com que pode ser aplicado na sociedade, a educação financeira pode ser usada em praticamente todas as áreas do ensino escolar. Confira:

  • Matemática: conceitos básicos de economia e finanças, juros, imposto de renda e aplicações financeiras
  • Língua Portuguesa: leitura de dados em contas e boletos bancários, termos técnicos de finanças
  • História: evolução do crescimento econômico mundial de grande nações, contexto de blocos econômicos e bolsas de valores
  • Geografia: indicadores socioeconômicos, trabalho e setores de produção
  • Sociologia: dinâmicas sociais impactadas pelo dinheiro
  • Filosofia: valores morais e éticos relacionados ao uso do dinheiro na construção da sociedade
  • Ciências Naturais: relação entre o consumo excessivo e o consciente, impacto no meio ambiente e causas ambientais

As escolas possuem papel fundamental na formação de todas as pessoas, tornando-se grandes incentivadoras de planos e sonhos. Por isso é importante que trabalhem a educação financeira dentro de suas disciplinas, para que os alunos sintam-se cada vez mais estimulados sobre tudo o que envolve esse contexto.

This is some text inside of a div block.

Receba nossa newsletter

Obrigado! Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Ops! Algum erro ocorreu ao cadastrar o seu e-mail.