Usamos cookies para personalizar e melhorar a sua experiência.
Para saber mais, consulte a nossa Política de cookies.

Fechar

Está curtindo o conteúdo?

O Boletim isaac entrega semanalmente, na sua caixa de entrada, mais materiais como esse.
Inscreva-se aquiNão quero me inscrever.
Finanças

5 dicas de como evitar a inadimplência escolar

Veja aqui, 5 dicas de como evitar a inadimplência escolar, algo muito importante para a saúde financeira da instituição e para uma gestão escolar de sucesso

Publicado em
13/12/2022
💡 Dica: se a palavra estiver azul, ela é clicável e te leva ao link com mais detalhes!

Realizar a cobrança de mensalidades escolares em atraso pode parecer uma tarefa ingrata, capaz de gerar desconfortos, já que este é sempre um assunto delicado. No entanto, é muito importante que a gestão escolar tenha boas estratégias para lidar com a questão. Afinal, não é incomum que uma instituição de ensino privado tenha alunos inadimplentes, pelos mais diversos motivos. 

No entanto, não é por ser uma situação razoavelmente comum, que ela deve ser ignorada ou deixada de lado. Quando a taxa de inadimplência escolar aumenta, aumenta também o risco da escola não conseguir se manter como deve. 

Isso porque o acúmulo de atrasos nas mensalidades desestabiliza o fluxo de caixa, dificultando o pagamento de funcionários, a compra de materiais escolares necessários para o bom desenvolvimento das atividades pedagógicas e também a manutenção das instalações da instituição.

Por isso, mesmo que cobrar mensalidades escolares em atraso seja uma tarefa difícil, ela é necessária para a saúde financeira da escola. Nós, aqui do isaac, separamos então 5 dicas de como esse processo pode se tornar um pouco mais simples e muito mais assertivo, gestor. 

1. Abra as portas, e os canais, para a comunicação

Às vezes a inadimplência não é só uma questão financeira. Ou, mesmo que seja, ela pode ser contornada através de uma boa comunicação entre a escola e os responsáveis pelo aluno. 

Quando a família se sente à vontade para notificar a escola de que a situação pode não estar muito favorável, as duas partes podem, juntas, chegar a uma solução boa para ambas. Isso pode ser uma renegociação, um alargamento de prazo ou uma alteração na forma de pagamento. 

No entanto, ter as portas abertas ao diálogo não deve ser apenas um discurso. Na prática, oferecer meios de comunicação diversificados e flexíveis é o que de fato faz a diferença.

Muitas pessoas não vão ter tempo para se deslocarem até a escola e irão preferir tratar do assunto por telefone. Já outras talvez não se sintam confortáveis de conversar sobre finanças em voz alta e vão, se possível, optar por tratar da questão através de mensagens escritas, seja por e-mail ou por aplicativos de mensagem de texto. 

Seja como for, tente oferecer canais de comunicação diversificados, que serão pontes importantes no momento de conversar com as famílias sobre sua situação financeira junto à escola.

2. Renegocie quando possível

Como comentado anteriormente, a comunicação pode levar a gestão escolar a entender melhor a situação que levou cada responsável financeiro a atrasar o pagamento das mensalidades. 

Em algumas situações, pequenos ajustes no valor ou no prazo de quitação da dívida podem ser suficientes para que as contas sejam colocadas em dia. Por isso, é importante estar preparado para realizar renegociações que sejam proveitosas para todos os envolvidos. 

Lembre-se que uma situação de inadimplência resolvida pode ser uma solução caso você esteja pensando também em como evitar a evasão escolar, uma vez que alunos que estão em dívida com a instituição normalmente não podem realizar a sua rematrícula na mudança de um ano letivo para outro.

3. Faça da mensalidade uma prioridade financeira

Quando uma família passa por uma dificuldade financeira, é comum que as contas a pagar comecem a ser colocadas em ordem de prioridade. A boa notícia é que existem ações simples que podem ajudar a mensalidade da sua escola a ir para o topo dessa lista.

A mais usual é a concessão de descontos para quem paga a mensalidade antes ou até a data de vencimento. Mas a sua escola também pode oferecer outros benefícios aos bons pagadores como, por exemplo, o fornecimento de alguma peça extra do uniforme escolar ou valores reduzidos em serviços extra-curriculares prestados pela escola.

4. Tenha uma equipe preparada e dedicada à realização de cobranças 

Passar por uma cobrança é uma situação indesejada e delicada. Mas a sua escola não pode se dar ao luxo de arcar com as consequências de evitar o assunto.

Uma forma de minimizar os possíveis desconfortos deste momento, é tendo ao seu dispor uma equipe qualificada para a tarefa, que vai tratar do assunto de forma discreta, respeitosa e individual. A cobrança não deve ser responsabilidade de professores e profissionais ligados às áreas pedagógicas.

Caso a sua equipe não seja grande o suficiente para isso, saiba que pode contar com a parceria de plataformas de soluções financeiras como o isaac, que vai disponibilizar um time especialmente para a sua escola e todas as suas questões financeiras, inclusive as cobranças.

5. Flexibilize os métodos de pagamento

Quando pensamos em como lidar com a inadimplência em tempos de crise ou não, muitas vezes uma ação razoavelmente simples pode passar despercebida: a importância do método de pagamento.

Às vezes o atraso nas mensalidades advém não necessariamente de um problema financeiro irremediável, mas sim de uma dificuldade de organização. 

Oferecer diferentes métodos de pagamento além do tradicional boleto bancário, pode ser uma solução simples para este tipo de problema. Débito direto em conta, cartão de crédito e débito e até PIX são algumas das opções que talvez atendam melhor algumas famílias. 

Este item pode até mesmo auxiliar na captação e retenção de alunos, já que as pessoas procuram, cada vez mais, formas de terem facilidade e praticidade em todos os âmbitos da sua vida. E isso vale muito para a vida financeira também.

O que você achou desse conteúdo?
Mensalidades em dia, o ano todo, sem dor de cabeça
Quero o isaac na minha escola
Gostou do conteúdo? Compartilhe: